sábado, 9 de dezembro de 2017

A BUSCA DA FELICIDADE


Por Marcos Aurélio dos Santos 

O que é felicidade? Essa é uma pergunta necessária e desafiadora, e, que diz respeito a todos nós. As pessoas vivem numa busca constante da felicidade, querem se sentir bem, mesmo quando a motivação não é digna ou foge da ética da vida. Sempre nossos feitos para o bem viver buscam encontrar a felicidade. Todos nós queremos viver felizes pois ninguém quer viver toda a sua vida aprisionada nos laços amargos da infelicidade. Viver sem felicidade seria uma experiência de vida no mínimo desagradável, sem os frutos do amor, no qual é o arbitro da felicidade humana. Sem felicidade, habitaria a tristeza constante, onde o ódio estaria impregnado, onde o perdão e a misericórdia não encontrariam lugar. Uma vida amarga, sem sentir e viver as experiências doces da vida. Todos nós buscamos a felicidade. Contudo para vivê-la é preciso diferenciar.    

Felicidade é diferente de prazer. Podemos sentir prazer em vários momentos da vida. Prazer na companhia de amigos e amigas em um almoço de final de semana, ou tomando um bom café, ou em um passeio ao pôr do sol à beira mar, ou assistindo um bom filme, ou em uma peça de teatro que apreciamos, ou ainda tocar um instrumento musical. A vida é cheia de momentos prazerosos, são momentos da vida que nos fazem bem, que nos dão prazer, que nos faz enxergar a vida no que ela nos oferece de bom, contudo tudo isso não é felicidade.

Felicidade é diferente de alegria. Não são poucas as vesse na vida que temos momentos de alegria. Há ocasiões em que expressamos nossa alegria para outras pessoas.  As pessoas podem se alegrar ao reencontrar um familiar que a anos não vê, ou quando recebe os parabéns em seu aniversário, ou quando um filho ou filha passa de ano na escola com boas notas. Na vida é possível ter momentos de alegria e ao mesmo tempo não ter felicidade.    

Felicidade não é ter. Acredito ser este o maior dos equívocos na busca da felicidade. Não podemos pensar que a felicidade está no que possuímos ou no que conquistamos ao longo da vida. Alguém pode definir a felicidade relacionando-a a uma promoção de emprego, um cargo na igreja; na compra de um carro novo; em um investimento bem-sucedido nos negócios; na instabilidade financeira; nos bens acumulados adquiridos com o esforço do trabalho ou na conquista da casa própria. É comum ouvir as pessoas dizerem: “ Hoje vivo feliz pois minha família está com saúde, tenho carro, casa própria e um bom emprego com estabilidade. ” Pensando assim, estamos diante do grande perigo de achar que a felicidade da humanidade está nas coisas que ele Conquista e possui. É um conceito individualista alimentado pelo consumismo, distante da real felicidade.     

Felicidade é um estado de espírito. É algo que vem de dentro para fora. Está dentro de nós. Por essa razão não é encontrada nos momentos de alegrias e prazeres da vida, ainda que sejam agradáveis, nem tão pouco nas coisas que temos. É preciso dizer que a felicidade só é possível de ser encontrada, quando temos um encontro com Deus, o próximo e com a natureza. Não é possível ser feliz sozinho, ninguém pode ser, por isso a felicidade é também um ato comunitário. Quem ama a Deus é feliz, Ele é a fonte da felicidade humana pois Ele é amor. Mas é preciso dizer também que se não amarmos o nosso próximo em serviço, acolhimento, misericórdia e compaixão, não amamos a Deus, e não encontramos felicidade, porque a felicidade se concretiza quando temos um encontro com o outro. Também com a natureza, a mãe terra que Deus nos confiou para cuidar.

Por isso os que encontram e vivem a felicidade são os humildes que aborrecem a ostentação, a arrogância e a fama, os que usam de misericórdia para com o próximo, os pacificadores que acalentam os corações raivosos, os mansos que lutam pela terra, os pobres de espírito que nos ensinam o caminho do reino, os que lutam por justiça, os que são perseguidos por causa dela, os que meditam na lei de Deus dia e noite, que é o amar fazendo, pois quem ama faz, para o cumprimento de toda lei e dos profetas. Felicidade é amar uns aos outros, é não ser egoísta, é ter um espírito de partilha, é viver a solidariedade em um mundo de maldade, é cuidar da mãe terra para que todos e todas desfrutem de tudo de bom que há nela, é viver a vida como uma oportunidade de doar-se, de lutar ao lado dos que sofrem, de ser sal e luz para o mundo. Viva a felicidade!     
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário