sábado, 1 de março de 2014

A Justiça do Reino

Por Marcos Aurélio dos Santos

O Reino de Deus é uma realidade futura mas também uma verdade presente pois está dentro de nós e entre nós. O nascimento de Jesus de Nazaré dá início a chegada de um novo Reino, que logo depois é claramente evidenciado na vida em serviço sacrificial do Deus encarnado, daquele que lava os pés dos seres por ele criado, do Eterno que se esvazia de sua glória para salvar, transformar e libertar a humanidade. 

A maior expressão do manifesto do Reino de Deus na terra está na pessoa de Cristo e seu ministério. Em obediência ao Pai, Jesus encarna de maneira pertinente os valores do Evangelho do Reino por meio de sua proclamação seguida de serviço ao próximo.

É no verbo (palavra) que se fez carne que se encontra a esperança para uma nova humanidade. Seu exemplo de cuidado com o próximo, sua exortação ao arrependimento, pois sem este não há possibilidade de entrar e ver o Reino, como todos os aspectos relacionados a cruz devem ser observados e vividos por todo aquele que pretende ser discípulo de Jesus.

O Reino de Deus traz consigo as boas novas de salvação, esperança, justiça e paz para o mundo e a igreja de Cristo na terra deve ser a sinalizadora deste Reino. Por esta razão, Jesus e os apóstolos falaram mais de Reino de Deus do que da própria igreja no Novo Testamento.  

Paulo denuncia a falta de compreensão dos Irmãos da Igreja de Roma sobre o que é o Reino Deus. 

Ele escreve: 

"Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo;" Romanos 14:17

O contexto do capítulo 14 da carta aos Romanos explica. 

O tradicionalismo e a religiosidade fermentada pelo judaísmo da época, levou a igreja ao individualismo e a soberba gerando separação e contendas no seio da Igreja. 

No Reino, não vivemos mais para servir a nós mesmos e sermos servidos, mas para servir ao outro.

Paulo afirma: 

"Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si." Romanos 14:7

Nosso esforço não deve estar focado em expor nosso ponto de vista sobre regras, códigos e dogmas religiosos mas promover a paz e a edificação de todos.  

Vejamos:

"Por isso, esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua". Romanos 14:19

Então, promover a justiça em todas as suas dimensões tanto na questão pessoal como também ao próximo é dever de todo o discípulo. A Igreja do Senhor Jesus deve urgentemente recuperar e exercer sua voz profética denunciando todo pecado e injustiça porque assim fizeram os profetas. Deve se colocar debaixo da cruz e não apenas olhar para ela, caminhar com o próximo e vivenciar juntamente com ele suas dores, perdas e necessidades. 

A igreja é agente do Reino. É por meio dele que Deus manifesta e sinaliza o seu Reino, todos são chamados para cooperar na missão, não há restrições, pois a grande comissão é uma ordem para todos que nasceram de novo. A ceara está verde, os campos são vastos, isto é tarefa de todos. 

Só haverá paz se houver a prática da justiça, pois assim somente, impediremos o avanço da maldade no mundo, só encontraremos alegria, se de fato a Justiça do Reino habitar em nós por meio da ação poderosa do Espírito Santo.  

Felizes são os famintos por justiça, pois poderão saciar sua fome no acolhimento e serviço ao próximo. 

Felizes os que tem sede de justiça pois estes poderão ser chamados de "Irmãos gêmeos dos Profetas". 







Reações:

0 comentários:

Postar um comentário