sexta-feira, 12 de julho de 2013

Porque Acreditamos na Igreja

Por José Egberto Sátiro de Moura

Lendo outro texto com um tema relevante e refletindo nele, resolvemos responder com esta reflexão aos leitores. O tema diz o seguinte: Você acredita na igreja? O autor do referido texto faz uma reflexão que não podemos discordar. Realmente estamos vivendo tempos difíceis no que se refere a viver em comunidade.

É também verdade que uma parcela dos evangélicos deixam suas denominações por motivos os mais diversos: e nesse caso apontam o sistema, os controladores dos mesmos, as linhas teológicas e suas fragmentações e dentre outros.

No entanto, gostaria de apresentar algumas razões do porque nós acreditamos na Igreja.

Acreditamos na igreja porque antes de manifestar seu juízo ao mundo, Jesus manifestou-o à sua igreja 1 Pe 4.17, por isso, Jesus mostrou o seu julgamento às sete igrejas da Ásia Ap.1-3. Porque Jesus escreve apenas as sete igrejas, se havia mais igrejas na Ásia? É justamente porque essas sete falam da plenitude da igreja em todos os lugares e em todas as épocas, desde o seu nascimento, até a sua ascensão. 


Esses textos de apocalipses nos mostram que Jesus Cristo é conhecido na Igreja e através da igreja Ap.1.12,13. Antes de ver Cristo João viu os sete candeeiros, a plenitude da Eclesia na terra, e só depois viu o Cristo glorificado na igreja. Jesus Cristo está no meio da sua igreja. Ninguém verá o Cristo da glória fora da igreja. A salvação é por meio de Jesus, mas ninguém poderá ser salvo sem fazer parte da igreja que é a noiva do cordeiro. Cristo valoriza tanto a sua igreja que ele se dá a conhecer no meio dela. Hoje muitas pessoas querem Cristo, mas não a igreja. Isso é impossível. A atenção de Cristo está voltada para a sua noiva. Ele ocupa o centro da sua atenção.  

Em segundo lugar, acreditamos na Igreja porque Jesus morreu por ela. Is. 53:6 todo texto; se refere à expiação e o resgate que Jesus faz de sua Igreja o verso seis diz: todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o Senhor fez cair sobre ele à iniquidade de nós todos. O Senhor disse a Pedro: "Bem aventurado és: Simão Barjonas, porque que não foram carne nem sangue que to revelaram, mas meu Pai que está nos céus. Também te digo tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" Mt. 16 17-18. 

Percebemos que esta pedra apesar do jogo de palavras, não é a pessoa de Pedro que é a pedra fundamental da Igreja. É o próprio Cristo segundo o próprio Pedro, I Pe. 2. 4-8; veja também o que diz o verso seis. Pois isso está na Escritura: "Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo nenhum envergonhado". Confira também: Mt.21.42-44. Até certo ponto, todos os apóstolos são pedras fundamentais, mas só pelo fato de serem porta vozes e testemunhas do Evangelho garantindo sua veracidade Ef.2.20.

Em terceiro lugar, Acreditamos na Igreja porque o Senhor foi quem edificou Mt. 16.13-20. Como vemos “A edificação da Igreja” depende da revelação de Cristo por parte de Deus verso 17. (conferir Jo. 16.13). Ela também depende de Cristo como seu fundamento 1 Co.3.11 quando diz que ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. A Igreja depende do Cristo que exerce o poder soberano Mt.28.18-20. Depende também dos discípulos confessarem a Cristo e o Evangelho Mt.16.16; At. 1.8; e 8.4; a edificação da Igreja depende do levar o ataque até as portas do inferno que é o lugar dos mortos. At.5.29; a Igreja é construída não apenas sobre a pessoa de Cristo, mas também na sua obra que obrigou a morrer e conquistar a morte através de sua ressurreição 1 Pe. 3.18.

Em quarto lugar, acreditamos na Igreja porque Jesus é quem a santifica: Ef. 5.23-27. Então, Cristo está no meio da sua igreja, em ação, como remédio, para os males da igreja vejam Ap. 2.1,8, 12,18; e Ap. 3.1,7, 14. Cristo não apenas está no meio da igreja 1.13, mas ele está andando, em ação investigando, no meio da igreja Ap.2.1. Ele sonda a igreja, pois seus olhos são como chama de fogo 2.18, sabemos que muitos males atacam a igreja: esfriamento, perseguição, heresia, imoralidade, presunção e apatia. Mas Cristo se apresenta para cada uma das igrejas como remédio para o seu mal e é claro que hoje não é diferente, ele continua andando no meio e cuidando de sua igreja.

Para a igreja de Éfeso que havia perdido o primeiro amor, Jesus se apresenta como aquele que anda no meio da igreja, segurando na mão, como seu pastor superior. Ele está dizendo: "eu vejo tudo e conheço tudo". Para a igreja de Esmirna ele sabia que a igreja estava passando por sofrimento, perseguição e morte, enfrentando o martírio, Jesus se apresenta como aquele que esteve morto e reviveu. O Jesus que venceu a morte é o remédio para alguém que está enfrentando a perseguição e a morte. Para a igreja de Pergamo que estava se misturando com o mundo e perdendo o senso da verdade, Jesus se apresenta como aquele que exerce juízo e separa a verdade do engano.
Pergamo estava em conflito entre a verdade e o engano Ap.2.14.

Para a igreja de Tiatira que estava tolerando a impureza e caindo em imoralidade, Jesus se apresenta como aquele que tem os olhos como de fogo e os pés semelhantes ao bronze polido. Com a igreja de Sardes que tinha a fama de ser uma igreja viva, reputação de uma igreja cheia de testemunho e vida, mas na realidade Jesus se revela como aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas. Essa igreja tinha fama, tinha aparência de vida, mas estava morta. Já a igreja de Filadélfia era uma igreja fraca, mas fiel, Jesus vê muitas oportunidades diante da igreja e diz para ela que ele tem a chave de Davi, que abre, e ninguém fechará e que fecha, e ninguém abrirá. A igreja de Laodiceia essa era uma igreja sem fervor espiritual, morna, rica financeiramente, a essa igreja Jesus se apresenta como aquele que é constante e fidedigno no meio de tantas mudanças.

Em quinto lugar, acreditamos na igreja porque Jesus ama a sua Igreja.( leia Rm. 8.31,39). Além de amar a sua Igreja ele protege a sua Igreja, vejam Atos 12 e ainda mais. Jesus cuida da sua igreja Sl 23, e também intercede por ela. João capítulo 17. Enfim, Jesus anda no meio da sua igreja para dar gloriosas promessas aos vencedores. Isso quer dizer que nem todos os membros da comunidade visível são membros da igreja invisível. Implica dizer que nem todos os membros das igrejas locais são membros do corpo de Cristo. Ainda dizemos que nem todos os membros de igreja são vencedores, mas todos os membros do corpo de Cristo são vencedores. As promessas aos vencedores tratam da benção que a igreja estava buscando ou necessitando.

Ao vencedor da igreja de Éfeso seria alimentar-se da árvore da vida isso é ter vida eterna Ap. 2.7. A igreja de Esmirna ao vencedor de modo nenhum sofreria o dano da segunda morte Ap. 2.11. A igreja de Pergamo, o vencedor receberia o maná escondido, uma pedrinha branca com o nome novo Ap. 2.1. A igreja de Tiatira, ao vencedor da igreja seduzida, ao vencedor receberia a promessa de receber autoridade sobre as nações e possuir não os encantos do mundo, mas o Senhor da glória, a estrela da manhã Ap. 2.26-28.

Para a igreja de Sardes uma igreja que vive só de aparência, mais está morta os vencedores recebem a promessa de que seus nomes estarão escritos no livro da vida e seus nomes serão confessados diante do Pai no dia do juízo Ap. 3.5. Já a igreja de Filadélfia que é uma igreja fraca, mas fiel, ao vencedor é prometido que receberá a promessa de ser coluna do santuário de Deus Ap. 3.12. A coluna é que sustenta o santuário. 

 Eles podem ser fracos diante dos homens, mas são poderosos e fortes diante de Deus. Já a igreja de Laodiceia que se considerava rica e autossuficiente, mas era pobre e miserável, o vencedor recebera a promessa de assentar-se com Cristo no seu trono Ap. 3.21. Para todas as igrejas há um refrão: quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às Igrejas e é nesse sentido que precisamos ouvir Deus falando hoje com a Igreja.



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário