domingo, 29 de julho de 2012

Refletindo Sobre a Maravilhosa Graça de Deus

Por Marcos Aurélio Dos Santos

Falar da Graça de Deus é falar do seu grande amor por nós. Amor incomparável, sublime, perfeito, Amor que nos foi oferecido sendo nós miseráveis pecadores. Disse Jesus: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito para que todo aquele que nele crer, não pereça, mas tenha a vida eterna, porquanto Deus enviou o seu filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele". (Jo.3.16-17).

 Diante de nossa condição depravadora, escravizados pelo pecado, amante de nós mesmos, aborrecedores de Deus, ele envia seu filho Jesus para que toda condenação que estava sobre nós, caísse sobre ele e nos concedesse a vida eterna. Um amor incomparável, verdadeiro, amor que transcende nosso entendimento, pois é uma ação que supera as expectativas humanas visto que o amor humano, pelo fato de ser imperfeito espera alguma forma de retribuição da parte daquele que nos dispomos a amar, mas a Graça de Deus é insuperável, pois ele nos ama apenas porque deseja ser amado.  
  

Quão maravilhosa Graça. Imaculada, amorosa, Cheia de misericórdia, compassiva, sublime, verdadeira. Ela não exige sacrifício, pois toda divida foi paga na cruz pelo seu precioso sangue. Ela é inegociável, pois o preço foi alto. Ai daqueles que ousam negociar com Deus, pois haverão de sofrer o poderoso e justo juízo do Deus eterno todo poderoso. 

A Graça de Deus é poderosa e atrativa. Somos atraídos por ela e ao mesmo tempo convidados para sermos participantes dos benefícios que ela oferece. Uma vez alcançados somos transformados em uma nova criatura que por sua vez nos presenteia com a salvação em Cristo Jesus. Somos alcançados mediante o poder transformador da Graça. A velha natureza é sufocada pela ação da Graça em nós. Todos são convidados a receber a salvação, não há acepção de pessoas. Pergunto o que fazer diante de tão maravilhosa Graça? Não há alternativa se não reconhecer nossa condição de pecadores necessitados da Graça de Deus. Somos atraídos por ela e lavados até Cristo.

Na sua majestosa vontade, é permitido conhecer Deus, para que tenhamos um relacionamento intimo com ele. Conhecer a Graça de Deus é uma experiência que nos leva a entender qual é a sua vontade para nossa vida, e ao mesmo tempo nos leva a calcular o valor dimensional de sua maravilhosa Graça. É uma relação que busca conhecer o Deus todo poderoso, é uma profunda relação entre o divino e o humano, seu amor paterno, sua bondade , sua misericórdia que em sua grandeza se estende até os confins da terra, sua compaixão. Um envolvimento profundo com a Graça de Deus nos leva a reconhecer que tudo que recebemos de bom, procede desse amor, e isto é atitude de humildade.

Viver sem a Graça de Deus é como estar em um deserto árido onde não há vida, e as chances de sobrevivência são mínimas, se não houver resgate, o resultado será a morte física. Viver sem o amor de Deus é viver em completo desamor. Vida sem a Graça é aprisionamento, pois só ela nos liberta dos grilhões do mundo, do julgo pesado da religiosidade, de cadeias que estão dentro de nós.

Mil vezes ser escravo do amor de Deus, do que viver em cadeias de pecado. Dez mil ser escravo da graça, do que ser escravo de si mesmo, pois em nós não há bondade. Quão maravilhosa Graça. Seu valor é incomparável. Ajuntem tesouros de todos os reinos do mundo e depositem em um só lugar, ainda assim, não conseguirão pagar o valor inestimável da Graça. O preço do sangue derramado na cruz transcende os valores terrenos, pois estes são eternos.

Pura ilusão é achar que Graça tem haver com o que é perecível, terreno e humano pois ela nos transporta para outra esfera, que tem como alvo fazer com que enxerguemos além do aqui e agora, numa dimensão espiritual. Podemos aqui citar as palavras de Paulo aos Colossenses que diz: Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra (Col.3.1-2).

Eis a bendita esperança. Paulo exorta os irmãos da cidade de Colossos a buscar e pensar nas promessas que Deus tem para o seu povo por intermédio da Graça. Agora ressuscitados com Cristo somos levados a ele para desfrutar desse amor. Nossa esperança não deve ser depositada em benefícios perecíveis, que também a Graça nos concede, mas nas promessas fururas, que pela fé aguardamos o dia do Senhor.

Os propósitos de Deus passam a se tornar claro para nós a partir de um envolvimento com sua Graça que nos faz entender dentro de nossas limitações a vontade de Deus para nossa vida. Portanto, diante desse grande amor, não nos resta alternativa se não deixar que o Senhor nos encha com seu amor, que transborde em nós como os rios em tempos de inverno, que cresçamos nela em vida, pois caminhando na Graça chegaremos à maturidade e por fim a glorificação no Deus de toda à Gloria.

Reações:

2 comentários:

  1. A lei do Espírito de Vida em Cristo Jesus, é a lei da graça. Andar na graça e por intermédio da graça revelada pelo evangelho, é andar no espírito....

    ResponderExcluir
  2. Paz!!!
    Muito bom o seu texto...
    Compartilhei no meu face...
    Continue a propagar o verdadeiro evangelho de Jesus!!!!
    Um grande abraço...
    Pra Claudia Pereira
    seumabencao.con

    ResponderExcluir