domingo, 27 de novembro de 2011

A Unção do Cai Cai, do Riso, o Rugido do Leão e o Grito da Águia. Avivamento Genuíno?

Por Marcos Aurélio dos Santos

Nos últimos dias a igreja brasileira tem vivenciado experiências místicas em suas diversas maneiras. Curas, línguas, exorcismo, “Revelações” e não muito distantes manifestações estranhas às experiências vividas pela igreja do primeiro século, como as manifestações sobrenaturais da igreja do aeroporto de Toronto no Canadá (EUA), um movimento que ficou conhecido mundialmente pelo nome de “A benção de Toronto” e que já é praticada no Brasil em diversas igrejas pentecostais e históricas.   

Nesse novo movimento que teve sua explosão em 1994, liderado pelo pastor John Arnott e sua esposa Carol, Algo de muito Estranho acontece. Risos, gargalhadas, desmaios, tremedeira, pessoas imitando animais, rugindo como Leão, uivando como lobo, tem também o canto do galo e o grito da águia, a chamada “unção” manifesta-se de várias formas, o Culto em seu clímax transforma-se em uma espécie de “zoológico espiritual” onde estas manifestações são recebidas como sinal da “presença do Espírito”.

Vejamos o que diz o Dr Augustus Nicodemos em seu artigo, “Entendendo a Benção de Toronto”.


"O movimento da "bênção de Toronto" faz parte do que tem sido chamado de reavivalismo moderno, em distinção aos avivamentos históricos dos séculos passados. Debaixo da influência de Charles Finney, os evangélicos do século passado até nossos dias passaram a ver o avivamento como algo produzido diretamente pelo esforço organizado de igrejas ou denominações".


Avivamento, dizem, é o resultado do emprego adequado dos métodos certos. Nesta moldura teológica, os que desejam avivamento empregam todos os meios possíveis para produzi-lo, em contraste ao espírito dos antigos, que consideravam avivamento como obra soberana de Deus, pela qual poderiam orar, mas jamais produzir.(artigo publicado originalmente na revista Ultimato).


No avivamento moderno de Toronto, que difere em muito das experiências vividas por Finney, Whitefield, Wesley e outros avivalistas do passado, descarta-se a soberania de Deus e a liberdade de atuação do Espírito Santo, o “avivamento” tomou um aspecto antropocêntrico, onde a busca da vitalidade espiritual parte de esforços humanos, rejeitando a ação soberana do Deus todo poderoso.


No lugar da oração de humilhação e submissão ao Espírito na espera de um verdadeiro avivamento, encontra-se espaço para a oração da determinação, do poder da palavra humana, encontrando seu ponto principal nas ações do corpo influenciadas pelos rituais de cultos afros, indígenas,  e outros. Percebe-se também a oração dos pequenos deuses, que enganosamente acreditam ter o controle do poder de Deus. Daí parte a ideia de poder para derrubar pessoas com sopros, paletó, imposição de mãos e etc.


Outro fato preocupante é que os avivamentos modernos não produzem o que é essencial em um verdadeiro avivamento, O fruto do Espírito. Nos avivamentos antigos, as marcas das virtudes do Espírito se manifestavam através de confissão de pecados, arrependimento, conversão, disposição para fazer a missão, assistência ao necessitado e uma sincera busca de comunhão com Deus e com os irmãos.


Vale à pena refletir sobre este trecho do testemunho do ex-pastor da igreja do aeroporto de Toronto, Paul Gowdy:

"Depois de um ano na “bênção” preguei num encontro de pastores e falei: “Amigos, temos nos sacudido, nos arrastado pelo chão, rolamos por terra, rimos, choramos e adquirimos as camisetas da igreja. Mas não temos avivamento, nem salvação, nem frutos, nem aumento de evangelização, por isso, qual é a graça?”. Fui repreendido – afinal, quem era eu para anelar frutos quando o Senhor estava curando seu atribulado povo? Durante anos éramos legalistas, e Deus agora estava restaurando as feridas libertando-nos do legalismo. Aconselharam-me a não forçar o Senhor que os resultados apareceriam no tempo certo. 

....O Senhor nos chama ao arrependimento, e graças ao Senhor pelo que ele é, pois nos conduzirá e nos restaurará ao Pai. Se Deus me perdoou e abriu os meus olhos então poderá agir a favor de todos os que estão no engano. 

Termino com o alerta de Paulo que permaneçamos firmes para não tropeçarmos em coisa alguma". 

Sinceramente, 
Paul Gowdy 

De fato há relatos na história dos avivamentos antigos de irmãos que caiam prostrados chorando, lamentando e confessando seus pecados, outros ficavam imóveis ao impacto da exposição poderosa da palavra pregada pelos avivalistas da época. No entanto, a diferença entre o avivamento antigo e o moderno é que o ultimo em sua maioria é motivado por intenções humanas e que ficam alheios à soberania de Deus em tais manifestações.

 Nos avivamentos antigos, Pessoas caiam prostradas não pela força motivadora do homem, mas porque estavam diante da presença poderosa e majestosa do soberano Deus, após a exposição da palavra, fato que raramente ocorre nos avivamentos contemporâneos.


As manifestações corporais não trazem nenhuma edificação se não houver a evidencia do fruto do Espírito. Gritos, berros, risos, gargalhadas, imitações de animais e outras manifestações na igreja de Toronto, são estranhas ao ensino do Novo Testamento. Os argumentos teológicos de Arnott, não têm fundamento nas escrituras. Augustus Nicodemos diz:


 A verdade é que não existe justificativa bíblica para "cair" no Espírito, rir no Espírito, e imitar sons de animais. Não lemos destas coisas ocorrendo com os crentes da Igreja apostólica, no livro de Atos, nem há qualquer referência a estas manifestações nas cartas escritas pelos apóstolos às comunidades do primeiro século. Se estas coisas acompanharam a Igreja apostólica, e eram para ocorrer através dos séculos na Igreja cristã, é estranho que não há qualquer referência, orientação, ou instrução, da parte dos apóstolos a este respeito.

Por fim, a igreja brasileira deve estar alerta a estes movimentos para não corrermos risco de cairmos no erro do engano, e sermos levados por ventos de doutrina que nos últimos tempos tem soprado nos ouvidos dos evangélicos brasileiros. Em meio à pluralidade religiosa de nossa época, o caminho seguro que devemos trilhar é o da perseverança na doutrina de Cristo, tomando como exemplo a igreja primitiva que unanime perseveravam nisto (At. 2.42).


Que o Senhor nos Ajude!


Para Ler mais sobre o assunto, Leia o artigo do Dr. Augustus Nicodemos Lopes em:  http://otonieldemedeiros.blogspot.com/


Reações:

4 comentários:

  1. Isso realmente é muito estranho, para saber se realmente isso é de Deus ou não, pergunte ao Espirito Santo de Deus Ele tirará todas as duvidas, caso Ele não responda leia provérbio capitulo 2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. anestesico inlatorio movimento cai cai e repousar no espirito e o terno ungido outros...

      Excluir
  2. yupmovimentoo caiy caiy e repouzso no espirto do anestesico ynalatóri0

    ResponderExcluir
  3. Impressionante como está cheio de pessoas que não tem o Poder do Espírito Santo, como está escrito em Joel 2, e Atos 1.8 e Atos 2 e Atos 10, I Co 12, I Co 14, Rm 12 e Ef 4, e fica criticando quem tem. O Poder de Deus é para os humildes e não para os críticos.

    ResponderExcluir